26/12/06

E pergunta o Rui...

Afinal, é melhor fracassar na originalidade ou ser bem sucedido na imitação?

O Libertador
© Succession René Magritte - Mr. Charly Herscovici ::
1947
Óleo s/ tela, 81x100 cm
Los Angeles County Museum of Art, Los Angeles




[que diabo!, deve ser dos balanços_de_fim_de_ano...mas, tudo muito perguntador!]


***...***...***
(Magritte)/"Quando abarcarmos esses mundos e o conhecimento e o prazer que encerram, estaremos finalmente fartos e satisfeitos?",WW

2 comentários:

amok_she disse...

...ora!, entre uma e outra...venha o diabo e escolha!

...cá por mim diria q o melhor, mesmo, era voltarmos todos prá caverna e recomeçar tudo de novo!...ah!, mas antes q se faça explodir este mundo!...

...deixe-se, no entanto, ficar vestígios da belíssima merda q esta Humanidade criou, pra ver se da próxima não se cometem, plo menos, os mesmos erros...

a mm disse...

Mas porquê tanta esquisitice com a m. e com o erro?
Pra que raios estigmatizar tanto a imitação?
Porquê idolatrar o genuíno?
Mas donde virá, afinal, o autêntico?
Que quer isso dizer?
E a verdade? Pufff...
Porventura alguém já descobriu algo de completamente completo?
Bahhh