29/01/06


«_Sim, cada um terá de encontrar o seu sonho e, então, a senda tornar-se-á fácil; no entanto, nenhuma fantasia durará eternamente: cada quimera liberta outra e não podemos pretender agarrar nenhuma.» - 'Demian', H.H.


***...***...***
(Magritte)/"Quando abarcarmos esses mundos e o conhecimento e o prazer que encerram, estaremos finalmente fartos e satisfeitos?",WW

27 comentários:

Anónimo disse...

Amok, HH coloca sonho, fantasia e quimera no mesmo saco se entendi bem...é assustador...estamos condenados a quê?...

tambem eu demorei a ultrapassar a onda de choque...
um bom dia!
Neta.

amok_she disse...

«...estamos condenados a quê?...»

...pois, condenados a sermos "nós e a nossa circunstância", já lá dizia Ortega y Gasset

919 disse...

Não concordo muito com "nós e nossa circunstância"... Uma cadeira, ainda que sirva de escadote, de lenha, de arma de arremesso ou para domesticar leões (não faço idéia se é para domesticar ou se é pra servir de escudo, mas pouco importa), não deixa de ser uma cadeira...

amok_she disse...

...depois me explicarás como é q essa constatação da cadeira - com a qual concordo inteiramente - valida a tua não concordância com o "nós e a(s) nossa(s) circunstância(s)"...;-)

919 disse...

e já agora, um sonho não é necessariamente uma fantasia, uma fantasia não é necessariamente uma quimera, mas uma quimera é certamente uma fantasia e essa fantasia é com certez um sonho... digo eu, não sei!...

919 disse...

então... nós somos como a cadeira! somos nós e mais nada! depois há as circunstâncias, que nós assimilamos, integramos, ou não, de forma consciente ou, mais frequentemente, inconscientemente...

amok_she disse...

...descubra as diferenças, sff...;-)

sonho

do Lat. somniu

s. m., conjunto de ideias e imagens mais ou menos confusas e disparatadas, que se apresentam ao espírito durante o sono;
utopia;
ficção;
fantasia;
visão;
aspiração;
[é claro q me escusei a colocar o significado...culinário!;-]

quimera

do Lat. chimaera < Gr. chímaira

s. f., monstro fabuloso com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão;
fantasia;
utopia;
ilusão;
sonho;
absurdo



fantasia

do Lat. phantasia < Gr. phantasia, imagem

s. f., imaginação;
em que há imaginação;
obra de imaginação;
devaneio, sonho, ficção.


in Língua Portuguesa On-Line da Texto Editores

amok_she disse...

...quer-me cá parecer q estás a baralhar um bocadinho dos dados...;-)

circunstância

do Lat. circumstantia, as coisas que estão à volta

s. f., particularidade que acompanha algum facto;
acidente que atenua ou agrava;
conjuntura, momento, ocasião;
estado;
condição;
situação;
caso;
motivo, causa;
fig., cerimónia;
importância.


...penso q naquela ideia sobressai o significado conjuntura mais q qq outro...

amok_she disse...

(...)depois há as circunstâncias, que nós assimilamos, integramos, ou não,(...)

...deixando de lado a minha preferência pelo vergo 'interagir' em vez do assimilar, penso q isso ñ será mt relevante para a nossa "discussãozinha" ...ñ achas q é isso mesmo q a ideia pretende exprimir?...ao interagir (ou assimiliar, como tu dizes) ñ achas q o "nós" acaba por se alterar, duma forma ou de outra, com mais ou menos intensidade ...acabando por fazer desse "nós" o resultado do q somos+as cisrcunstâncias...no q passamos a ser...?

919 disse...

ora bem... ainda que os diccionários precisem usar diversas palavras para nos dar significados, há quem defenda (aprendi por alguém que estudava linguística) que não há sinónimos cada palavra tem o seu exacto valor... da mesma maneira para as pessoas: as circunstâncias exigem resposta ao nosso ser e estar, mas nós damos a resposta que quisermos dar (aqui entra o consciente ou inconsientemente) e se quisermos dar... depois sujeitamo-nos às consequências...

amok_she disse...

...acho q é por isso mesmo q a ideia refere "nós E as nossas circunstâncias"...e não q nós "somos" as nossas circunstâncias...no fundo acho q temos andado pr'aqui a dizer as mesmas coisas...tal como o OyG...;-)

919 disse...

mas o tipo não disse qualquer coisa como "nós somos nós e as nossas circunstâncias"? então em que é que ficamos? somos nós, ou somos nós e elas?

amok_she disse...

...e q somos nós se não nós e elas????;-)))

Alberto Oliveira disse...

.. é certo e sabido que quando passo por aqui aterro no meio de uma discussão das antigas!

Ó MULHERES! CALEM-SE!! DEIXEM-ME OUVIR A PIANOLA!!!

... sem dúvida que prefiro as fantasias por óbvias circunstâncias...

Anónimo disse...

nem sei como arranjo coragem para me meter nas vossa discussões... eu que sou tão... tão pouco de circunstâncias...
obrigada à lélé, ajudou... semântica não é o meu forte por isso não vejo como é que 1 sonho é 1 ilusão ou porque 1 fantasia tem de ser absurda!

neta.

Anónimo disse...

Salvo melhor opinião, o que o autor do fragmento literário objecto do "post" quer dizer,é que a demanda é permanente, ou seja, o caminho de cada um, se faz numa caminhada sem fim.
Para aqueles que julgam que já atingiram o fim do caminho,deixaram de ter a capacidade de sonhar.

Um abraço a todos

Lobo das Estepes

amok_she disse...

...pois é, meu caro Lobo, essa é a leitura mais obvia, mas...nós, meninas, somos umas eternas insatisfeitas e nunca nos damos por contentes com o obvio!;-)...naturalmente que passámos logo para o Gasset sem nos termos detido no Hess...ai,ai...mulheres!...razão têm o nosso amigo legibile...;-)

919 disse...

Chegaram os homens e o seu pragmatismo!... buááááá (tás contente, Legível? com este choro todo consegues ouvir a pianola? é bem gira, por isso, só de raiva... buááááááááá)

Alberto Oliveira disse...

MALVADA!!

Devo confessar-te Lélé (agora que a Amok não está aqui) que a minha atenção para este blog, foi despertada pela... pianola. Precisamente. Ouvi aquele tinc-tonc-tinc-tonc monocórdico e pensei cá para mim «um blog com um zingarelho destes, só pode tratar de temáticas ligadas à música séria -que as outras, são todas filhas da puta...» pensei eu. E para dar uma de conhecedor, perguntei-lhe (à Amok) se o zingarelho que tocava não seria um cravo. (Tás-me a acompanhar?; quando não tiveres diz, que assim que acabar este comment vou-me deitar que tou com uma soneira monumental). Ela (a Amok) disse-me que não tinha a certeza, que ia ver e depois me dizia alguma coisa...
Até hoje, Lélé! Calou-se muito bem caladinha e prontos; tenho vindo cá, de vez em quando, esperando que um dia ela me diga qualquer coisa parecida com isto: «Olha Legibile: não é um cravo. É uma borbulha!»

Vou-me deitar Lélé. Se estiveres à fala com ela dá-lhe cumprimentos da minha parte. Até amanhã.

919 disse...

Legível, há palavras que despertam uma gargalhada bem gostosa... não conhecia essa do zingarelho... e agora vou tentar abstrair um bocado do zingarelho (adorei), que a rir assim não consigo adormecer...
(primeiro ainda vou ter que acertar naquelas letras esquisitas da verificação... já falhei 2 vezes... se isto é como o multibanco não posso falhar a terceira...)

amok_she disse...

...bem, eu ñ me lembro nada desse teu final, oh legibile...eu ñ confirmei, mesmo?, q era um...piano*?!?...se calhar foi por me ter ofendido por me confundires o (meu) piano com uma reles pianola**...grrrrr

*piano
s. m.,
instrumento musical composto de cordas e teclado cuja percussão é feita por intermédio de teclas


**pianola
s. f.,
mecanismo que se adapta aos pianos, para os fazer tocar automaticamente;
piano automático.


[deve ser por estas e outras q eles ñ gostam q a gente fale demais...deve, deve...:->]

...bem...esta treta da senha&santo de hoje 'tá uma m****!!!...parece um testamento de letras fininhas e juntinhas(deve ser do frio!) c'uma pessoa vê-se grega para as decifrar, mesmo com lunetas, caraças!

Anónimo disse...

Até a cadeira é ela e as suas circunstâncias, senão não seria uma cadeira(Obviamente para quem não é um adepto do Zen), pois, se não houvesse matéria prima e nomeadamente um carpinteiro, não haveria cadeira.
Também quando chegamos à fase de tomarmos consciência que "somos nós"essas consciência está repleta de circunstâncias.Pois é, meus caros comentaristas, o conceito de tábua vazia, não existe quando se chega à consciência do EU.
A quimera também é um sonho, ou seja, ela pode ser outras coisas, mas o sonho está sempre contido nela, senão vejamos a difinição do diconário da lingua portuguesa da Textos editores;

do Lat. chimaera < Gr. chímaira
s. f.,
monstro fabuloso com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão;

fantasia;

utopia;

ilusão;

sonho;

absurdo

Lobo das Estepes

919 disse...

Ó Lobo, então tudo não é nada se não forem as circunstâncias? E como é que estamos a falar duma tábua vazia, se estamos exactamente a falar da essência das coisas? Quanto ao sonho, fantasia e quimera, parece que etamos de acordo...

amok_she disse...

...confesso q a definição q mais me atrai, para a chimaera é mesmo a de 'monstro fabuloso com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão'...;-))))

919 disse...

também gosto da palavra "quimera"... faz-me lembrar o Charlot...

Anónimo disse...

ah bem me parecia
isto afinal é a quimera de uma música tocada no zingarelho de uma pianola
por isso eu gostava tanto dela

amok_she disse...

...outra????...pianola, uma ova!!!grrrr